Os genes, esse legado que trazemos colado à pele

Pessoal e transmissível

A minha L. tem um sentido de humor que muitas vezes me faz esquecer aquele lado birrento e desgastante que, aos quatro anos, uma criança pode ter.  A K. (que é a mãe-espiritual descoberta há coisa de um ano, por tanta semelhança interior) sublinha-lhe sempre essa capacidade de perceber que tem graça e que consegue fazer rir os outros. Sem se rir, ela própria. Prega partidas, faz humor (negro) e hoje mesmo imitou na perfeição um jargão que ouve a toda a hora da boca do irmão. Ouvi-la cantarolar uma canção dos Leite Creme na Patilha já era bastante – para mim e para a professora de dança. Agora ouvi-la, enquanto procurava um lápis que não encontrava, desabafar um

– que favela, moço…

Foi um momento que merece ser eternizado.

Anúncios

One thought on “Os genes, esse legado que trazemos colado à pele

Penso que:

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s